O Autor

Alexandre Hefren, 22 anos, cursa Física Bacharelado na Universidade federal do Ceará (UFC). Ex-Olímpico de Física e recentemente desenvolvedor de um projeto de caráter filantrópico no âmbito educacional.

Entende que a ciência está intrinsecamente relacionada com o progresso humano e, portanto, deve ser fomentada amiúde. É preciso aperfeiçoar as configurações disciplinares, a fim de ultrapassar as fronteiras da especificidade curricular. Trata-se de compreender que o progresso do conhecimento não se dá apenas pela especialização crescente, como muitos estão habituados a pensar. A ciência começa a aparecer como um processo que exige também um olhar transversal, um olhar criterioso para ver coisas ocultas a um observador rigidamente monodisciplinar.

Defende a cultura da interdisciplinaridade como arquétipo elaborador de profissionais mais abalizados. Na universidade, por exemplo, há falta de uma visão global por parte dos universitários, o que provoca uma aprendizagem fragmentada, atenuada pela falta de suporte gerado por outras disciplinas não estudadas ou contempladas por parte de um mesmo curso de graduação. Ora, faz-se necessário fomentar o aprendizado que reúna diferentes conhecimentos em blocos, ao invés de isolados.

Como diz Ortega Y Gasset, em páginas célebres de La rebelion de las massas (1929), numa laudável crítica à cultura da especificidade acadêmica:

“Dantes os homens podiam facilmente dividir-se em ignorantes e sábios, em mais ou menos sábios e mais ou menos ignorantes. Mas o especialista não pode ser subsumido por nenhuma destas duas categorias. Não é um sábio porque ignora formalmente tudo quanto não entra na sua especialidade; mas também não é um ignorante porque é um ‘homem de ciência’ e conhece muito bem a sua pequeníssima parcela do universo. Temos que dizer que é um ‘sábio-ignorante’, coisa extremamente grave, pois significa que é um senhor que se comporta em todas as questões que ignora, não como um ignorante, mas com toda a petulância de quem, na sua especialidade, é um sábio (GASSET, 1929, p. 173-4)”.

Anúncios

3 comentários em “O Autor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s