Alomorfia e Superfluidade

No meu primeiro ano do ensino médio, pedi explicações ao meu professor acerca da formação da palavra cafezal e, lamentavelmente, fui ensinado que é constituída do radical café + o sufixo –al, entre os quais aparece uma consoante de ligação –z.

Ora, não há consoante de ligação em português: -zinho,-zal e outras formas congêneres são meros alomorfes das formas –inho e –al.

Se o –l– de chaleira ou pau-l-ada e o –t– de cafe-t-eira são consoantes de ligação, por que motivo não se consideram como tais o –n– de  lunar, derivado de lua, ou o –n– de sanar, derivado de são? Por que não, se o  –a de lua e o  –o de são não passam de vogais temáticas, e os radicais são respectivamente lu– e -? Em pedal, nodoso, nudista, por que o –d– não é consoante de ligação? Não resta dúvida que entreliga radical e sufixo.

O Alomorfe é a variante de um morfema.

O conceito de alomorfes e morfemas, e dos outros alôs e emas, é um dos mais básicos em lingüística descritiva”      Sá da Costa Bocage.

–inho/-zinho, -al/-zal, chá/chal-, pau/paul-, café/cafet-, lu-/lun-, sã/san-, pé/ped-, nó/nod-, nu/nud-, tupi/tupin– são alomorfes ou variantes morfológicas.

Definitivamente, não tem sentido falar-se num infixo –z– em vocábulos como florzinha e cafezal. Nenhum valor gramatical se poderia atribuir a esse suposto elemento.

Superfluidade

O tratamento do –z– como consoante de ligação introduzirá em português uma categoria morfológica inútil, que apenas irá sobrecarregar e complicar a descrição gramatical. O princípio básico de qualquer descrição lingüística é a simplicidade. Em Física, há o equivalente no chamado Princípio da Mínima Ação (Principle of Least Action).

A variação é um fenômeno geral, tanto na morfologia, como na fonologia e na sintaxe. Cada elemento padronizado da língua tem as suas variantes.

É óbvio que a consoante de ligação seria categoria supérflua e, portanto, prejudicial, pois a alomorfia resolve plenamente todos os casos.

Obs: Os morfemas podem apresentar variantes em sua forma, embora se mantenham semântica e funcionalmente inalterados.

Anúncios

Um comentário em “Alomorfia e Superfluidade

  1. Muito interessante…também aprendi que esse Z- de cafezal era consoante de ligação…. hahahhaha
    faça um matéria sobre processo de formação de palavras; prefixos, sufixos.
    vlw

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s